Filmes Comentários

terça-feira, 5 de março de 2013

ÔNIBUS AOS DOMINGOS? COELHO BOTA OVO DE CHOCOLATE?


JORNAL COMENTADO 65

tony PAcheco*

6:38 – Terça-feira – 05.03.2013

 Coelhos baianos viram pedra ao esperar por ônibus num domingo de sol
“Domingo é meia”
(“Tribuna da Bahia”)

Leio na notinha que o prefeito Neto vai dar de presente a Salvador, no dia do aniversário da cidade (29 próximo), o anúncio oficial de que aos domingos o baiano vai pagar só meia passagem nos ônibus.
Eu acredito nele. Eu votei nele. Ele prometeu e tenho certeza que vai fazer mesmo. Mas, se não fizer, a gente vota em outra pessoa da próxima vez. Democracia é isso. Poder mudar, SEMPRE.
Também votei no ex-presidente Lula em 2002. E a partir de 2003 ele fez ver que joguei meu voto no lixo. Proibiu o porte de arma por policiais e cidadãos honestos (hoje em dia, só ladrões e traficantes podem ter arma “full time” no Brasil). Inchou o Estado de uma maneira que hoje trabalhamos para pagar a folha dos servidores públicos, que só servem a si mesmos. Abandonou completamente a infraestrutura do Brasil, deixando rodovias, portos e aeroportos numa situação que eu pensei que só FHC conseguiria, pois foi outro que sucateou o Brasil. Mas Lula o suplantou. Enfim, Lula me decepcionou e a milhões de outros. Mas eu continuo votando, SÓ NÃO VOTO MAIS NELE.

"Ninguém pretende que a democracia seja perfeita ou sem defeito. Tem-se dito que a democracia é a pior forma de governo, salvo todas as demais formas que têm sido experimentadas de tempos em tempos."
(Winston Churchill)


Acredito que democracia é aquilo que o ex-premier inglês Winston Churchill (1874-1965) nos ensinou: É RUIM, está sempre associada  ao CAPITALISMO (“distribuição desigual das benesses”, como ele mesmo dizia), mas ainda não se experimentou coisa melhor, principalmente se comparada ao socialismo marxista (“distribuição por igual de todas as misérias”, também segundo ele, que venceu Adolf Hitler e Mussolini, tendo que lutar ao lado de Stalin, que ao mesmo tempo que combatia Hitler, fazia acordos por debaixo dos panos com o ditador nazista, vide os acordos Ribbentrop/Molotov).
Mas, voltando à vaca fria: a Prefeitura quer instituir a meia-passagem de ônibus para todos aos domingos...

“PRA USAR AONDE?”


O que o povo vai perguntar primeiro ao prefeito é: “onde é mesmo que vamos usar este direito?”
Vamos contar duas historinhas tão comuns à maioria dos baianos...
No último domingo, estávamos um grupo de amigos em três carros, parados no Campo Grande, esperando nosso amigo Pedro, cuja companhia é agradável, pois é o único entre nós que toca música clássica e nos educa a respeito disso. Só que Pedro, como todo músico que ainda não atingiu o estrelato, viria de ônibus da Boa Viagem. Ele postou-se no ponto de ônibus, esperando o “buzão” da Ribeira que o levaria ao Campo Grande (de todas as linhas que servem Itapagipe, a que tem mais “buzús”, segundo a experiência dele). Após 1 HORA E 52 MINUTOS, o ônibus chegou, mas ele ainda teria que gastar quase mais uma hora no trajeto... E você pergunta: “por que estando em três carros, um não se picou pra Boa Viagem pra pegar o pivete?” Simples: os católicos resolveram desfilar no último domingo, do Comércio até a Igreja do Bonfim, e TRAVARAM TODA A CIDADE BAIXA NO SENTIDO COMÉRCIO-ITAPAGIPE, pois não há Polícia nem fiscalização de trânsito em Salvador, que coloquem manifestantes numa faixa e PERMITA A OUTRAS FAIXAS continuarem rolando. Um caos. Pedro conseguiria chegar até o Campo Grande, SE TIVESSE ÔNIBUS rodando DE VERDADE. Mas nós não conseguiríamos chegar até ele por causa da procissão...
Já, no mesmo domingo, D. Lourdes, 71 anos, esperou no largo da Empresa Gráfica da Bahia, na Fazenda Grande do Retiro, por 2 HORAS E 19 MINUTOS (o povo cronometra pra depois xingar a nós, jornalistas que eles conhecem, porque nós nunca reclamarmos dos defeitos do transporte por ônibus em Salvador e o pior é que nós sabemos e não falamos nada mesmo, é o fim...), tentando chegar no Campo da Pólvora e, coitada, desistiu. Os amigos que a esperavam tiveram que pagar um táxi pra ela poder chegar em tempo na área central da cidade.
Você não vai ler histórias reais como estas em nenhum jornal, site ou ouvir em nenhuma rádio. Este INFERNO DE DANTE que é depender de ônibus aos domingos em Salvador é um SEGREDO DE MÍDIA. Nem adianta tentar.
Agora, vem aí, a meia-passagem de ônibus aos domingos e a pergunta socrática que espero que os coleguinhas façam é: “PRA USAR AONDE?”

* Tony Pacheco tem formação em Jornalismo, Radialismo, Economia e Psicanálise, mas isso não faz ele conseguir um ônibus na hora certa aos domingos em Salvador. Pra isso, a pessoa tem que ter formação em Magia...

Um comentário:

  1. Q veneno é o + novo sabor de Q-Suco kkkkkkk

    ResponderExcluir