Filmes Comentários

quinta-feira, 13 de abril de 2017

COMEÇOU AGORA MINHA SEMANA SANTA. QUEM VEM COMIGO?


tOny PAcheco

"Vigiar e Punir", de Michel Foucault. "Comece hoje a controlar o estresse", de Connie Neal. "Perspicácia - Aprenda a pensar como Sherlock Holmes", de Maria Konnikova. "Só Freud Explica", de Joel Levy.
Não são livros difíceis de serem encontrados. Você pode pegar em bibliotecas de faculdades ou em bibliotecas públicas se não puder comprar. Depois de concluir as leituras eu farei um resumo para @s amig@s. Bom feriado para todos, matando a fome de saber, que é bem melhor que comer peixe salgado e chocolate com toneladas de açúcar...
Depois que terminar de ler também posso emprestar aos amig@s.



domingo, 9 de abril de 2017

Anarquia Viva

Ricardo Líper



O anarquismo cada vez mais se expande mundo afora. Todas as lutas sociais têm um sabor anarquista. Ou seja, o feminismo, a luta contra o racismo, o amor livre para todos o que inclui relações sexuais com o mesmo sexo. E, o mais importante, o que as caracteriza é que são sem partidos e sem dominadores. São específicas, quer dizer, não é uma luta de classes ou baseada na economia, mas uma reação à dominação, ou seja, ao poder. Para mais detalhes acesse o livro de Uri Gordon     https://colectivolibertarioevora.files.wordpress.com/2015/09/anarquia-viva.pdf

sábado, 31 de dezembro de 2016

COM ESTE HINO À ALEGRIA, FELIZ ANO-NOVO PARA TOD@S.


É uma das coisas mais lindas já feitas na música, tanto a harmonia dos sons e vozes quanto as imagens feitas na Índia. Viaje nesta viagem e felicidades mil em 2017.



TRADUÇÃO
HINO PARA O FIM DE SEMANA
(na verdade, uma ode a Baco e a Dioniso...)

Anjo enviado lá de cima
Sabe que faz meu mundo brilhar
Quando eu estava para baixo, quando estava machucado
Você veio para me levantar

A vida é uma bebida e o amor é uma droga
Ah, eu acho que estou há milhas de distância da terra
Quando eu um rio seco
Você veio fazer chover e me inundou

E disse "beba de mim, beba de mim"
Quando estou sedento
Estamos em uma sinfonia
Agora, eu nunca acho que é o bastante
Coloque suas asas em mim, suas asas em mim
Quando eu estava tão pesado
Estamos em uma sinfonia
Quando estou mais baixo, baixo, baixo

ah-oh-ah-oh-ah
Estou bêbado e chapado com você
Tão louco, tão louco
Oh-ah-oh-ah-oh-ah
Agora estou me sentindo bêbado e chapado
Tão louco, tão louco
(Woo)
(Woo-oo-oo-woo)

Anjo enviado lá de cima
Sinto correndo pelo meu sangue
A vida é uma bebida e o seu amor está prestes
A fazer as estrelas aparecerem

Coloque suas asas em mim, suas asas em mim
Quando eu estava tão pesado
Estamos em uma sinfonia
Quando estou mais baixo, baixo, baixo

Estou bêbado e chapado com você
Tão louco, tão louco
Oh-ah-oh-ah-oh-ah
Estou me sentindo bêbado e chapado
Tão louco, tão louco

Ah-oh-ah-oh-ah
La, la, la, la, la, la, la
Tão louco, tão louco
Ah-oh-ah-oh-ah
Estou me sentindo bêbado e chapado
Tão louco, tão louco

Então, iremos atravessar o céu.

AGORA CANTE

HYMN FOR THE WEEKEND
(com Chris Martin, Coldplay e Beyoncé)

Oh, angel sent from up above
You know you make my world light up
When I was down, when I was hurt
You came to lift me up

Life is a drink, and love's a drug
Oh now I think I must be miles up
When I was a river dried up
You came to rain a flood

And said "drink from me, drink from me"
When I was so thirsty
We're on a symphony
Now I just can't get enough
Put your wings on me, wings on me
When I was so heavy
We're on a symphony
When I'm low, low, low, low

I-oh-I-oh-I
Got me feeling drunk and high
So high, so high
Oh-I-oh-I-oh-I
Now I'm feeling drunk and high
So high, so high
(Woo)
(Woo-oo-oo-woo)

Oh, angel sent from up above
I feel it coursing through my blood
Life is a drink, your love's about
To make the stars come out

Put your wings on me, wings on me
When I was so heavy
We're on a symphony
When I'm lower, lower, lower, low

Got me feeling drunk and high
So high, so high
Oh-ah-oh-ah-oh-ah
I'm feeling drunk and high
So high, so high

Ah-oh-ah-oh-ah
La, la, la, la, la, la, la
So high, so high
Ah-oh-ah-oh-ah
I'm feeling drunk and high
So high, so high

Then we'll shoot across the sky
Then we'll shoot across the
Then we'll shoot across the sky
Then we'll shoot across the
Then we'll shoot across the sky
Then we'll shoot across the
Then we'll shoot across the sky
Then we'll shoot across the
Then we'll shoot across the sky
Then we'll shoot across the sky

sábado, 24 de dezembro de 2016

História da Imprensa

Ricardo Líper

Eu sempre leio tudo, porque gosto de ler. Até contos de fadas. Pornografia. Não suporto muito artigos de copiar-colar de acadêmicos, que também quase ninguém lê. Pois bem, gostei muito do "Pasquim" e lia eles todos que apareciam nas bancas. Lavava o peito com eles. A máfia de branco sempre me fez  admirar a coragem deles em enfrentar  vestais como os médicos. Eles mostravam sem nenhum compromisso tudo aquilo que era absurdo neste País. Enfim,  uma coisa mais comum no nosso País é nos deixarem sempre desconcertados. Se Ionesco, Kafka, Beckett tivessem morado aqui teriam escrito muito mais do que escreveram e, assim mesmo, não dariam conta do nonsense, do absurdo em que vivemos diariamente . Hoje, ao  reler Paulo Francis, me deparei com esse fato na internet e fiquei pasmo. Analisem por vocês mesmos.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

MATARAM O SUPOSTO TERRORISTA DO MERCADO DE NATAL DE BERLIM: QUÊ DESGRAÇA É ESTA DE MUNDO EM QUE VIVEMOS?

Tunisiano invade mercado em Berlim e mata pessoas inocentes. Governo italiano o mata antes de interrogá-lo. JÁ VIMOS ESTE FILME VÁRIAS VEZES na Rússia, na Turquia, nos EUA, na França e até no Brasil.

tonY PaCheco

É SUSPEITO DEMAIS este negócio de matar os supostos criminosos ANTES DE INTERROGÁ-LOS. Nunca saberemos QUEM ESTÁ POR TRÁS do atentado. Pode ser o próprio governo alemão. Pode ser o governo tunisiano. Pode ser a Rússia. Pode ser a CIA americana. Pode ser um espírito maligno vindo do espaço sideral. Pode ser qualquer coisa. A única coisa que fica clara nesta questão de atentados terroristas é que TODOS OS GOVERNOS AMAM ATENTADOS TERRORISTAS quando estão com baixa popularidade. Putin faz isso na Rússia. Os EUA fazem direto em seu país. O Brasil faz direto com morticínios que desviam a atenção dos problemas generalizados do País. A Turquia faz direto para desviar a atenção do governo fascista do Sr. Erdogan. Enfim, MATAM os supostos terroristas para que a VERSÃO OFICIAL dos atentados ou crimes em geral seja MANTIDA e a mente das pessoas submetidas a esta MANIPULAÇÃO nunca tenha acesso ao que ESTÁ POR TRÁS do tal atentado ou crime hediondo. Ah, e a mídia burra, amestrada e manipulada-manipuladora FICA CALADINHA.

Use o link abaixo para ver o espetáculo dantesco da mídia manipuladora e dos governos pra lá de suspeitos...

https://br.noticias.yahoo.com/fim-da-ca%C3%A7ada-ao-tunisiano-123500649.html?soc_src=social-sh&soc_trk=fb


ALEX FERRAZ

O panetone que o diabo amassou


Milhares, ouso dizer, milhões de trabalhadores brasileiros que AINDA não estão empregados, não terão nenhum motivo para rir, e muito menos desejar “feliz Natal” amanhã.
Podemos começar pelos funcionários públicos do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Piauí, onde a “crise” tem feito com que os administradores públicos atrasem de forma cruel o pagamento de salários. No Rio de Janeiro, por exemplo, nem um centavo do 13º foi pago, para não falar nos salários de meses, e nas aposentadorias. Ontem, pela manhã, aliás, o jornal Bom Dia Brasil, da Globo, exibiu ampla reportagem, inclusive com  muita gente humilde (ser humilde nesta selva Brasil é mesmo uma desgraça) chorando, porque sequer poderá comprar um frango assado para substituir o peru, privilégio, é claro, dos que se locupletam com a “crise”.
Pieguices à parte. Devo reafirmar aqui que ABSOLUTAMENTE não creio em “crise”, na medida em que se impõem sacrifícios atrozes aos trabalhadores, enquanto presidente, senadores, deputados, vereadores e prefeitos, por exemplo, seguem vivendo nababescamente, transportando-se em carros de alto luxo e, claro, gerando despesas bilionárias para o Estado.
Se Temer, Calheiros, Rodrigo Maia, Paulo Skaff (presidente da Fiesp) e tantos outros, incluindo prefeitos e asseclas, estivessem locomovendo-se em Fiat Uno, Gol Mil ou outros carros populares (como, aliás, fez o Papa quando esteve no Brasil), daria para ter um mínimo de credibilidade, digo mais, respeito por suas argumentações.
Porém, na medida em que o setor público e boa parte do privado insiste em penalizar o trabalhador nesta “crise”, enquanto se locupleta com mordomias mil, de iates a férias nababescas no exterior, o mínimo que se pode dizer é que, neste país, o respeito ético pelos que produzem é nenhum, em todas as esferas.
Enquanto isso, os sindicatos, depois de 13 anos mamando mais do que nunca (porque, de alguma forma, sempre mamaram) nas tetas oficiais, estão travados, mudos, nada fazem a não ser produzir factóides político-eleitoreiros, mas, pelo visto, sempre entram em “acordo” com o poder e tudo segue como se fosse uma reação “normal” à crise.
Na verdade, em todas as ditas “crises” econômicas recentes, vide Europa e Estados Unidos,  estes por volta de 2008, sempre quem saiu perdendo foi o trabalhador, o aposentado, enfim, aqueles que, embora trabalhem para manter a economia, são, no final das contas, os “culpados” e devem ser execrados, humilhados, submetidos até mesmo à fome.
No entanto, prezados leitores, há uma diferença monumental entre ser desempregado na Europa, ou mesmo nos EUA, e nesta imitação patética de país que é o Brasil.
Cito, por mero exemplo, o caso de um amigo que mora (Deus benza!) desde a década de 1980 na Europa, mais precisamente na Áustria, a quem encontrei, em plena “crise” europeia, a caminhar tranquilo pelas calçadas da Barra. Espantado, lhe disse: “Fulano, você  está desempregado na Áustria, como e por que veio até aqui?” E ele me respondeu; “Ora, Alex, lá recebo um seguro que dá tranquilamente para pagar passagem de vinda e retorno. Além do mais, vim visitar meu pai, que está doente.”
Bem, posso parecer deslumbrado com  tal situação, mas a real é que representa o que de verdade acontece em países onde governantes e iniciativa privada têm um mínimo de respeito por quem trabalha.
É por essas e outras, repito, que não dá para acreditar nesta elite que hoje governa o País, que, na verdade, está dando mais um grande golpe na classe trabalhadora, sob o argumento de “crise”. Não estou aqui a defender Lula, Dilma, PT, coisa nenhuma. Eles também engabelaram, e como, o povo brasileiro. Parece ser a nossa sina. Pois é...

Alex Ferraz é colunista diário e repórter da "Tribuna da Bahia".