Filmes Comentários

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

NÃO VI PRECONCEITO DA RENAULT. VI DESCONSTRUÇÃO DE PRECONCEITO.

tonY paCheco 

O sujeito que fala de preguiça nordestina fica imediatamente desmoralizado pelo anúncio. E o que trata da lentidão baiana é desmoralizado também pela prontidão do motorista baiano. Vou rasgar meus diplomas de Psicanálise e Jornalismo e vou voltar a estudar, pois acho que desaprendi...

Por favor, usem este link abaixo. No rodapé do link tem os dois anúncios. Peço que confiram se estou totalmente errado ou se este site vejapolitica.com.br é que está forçando a barra.

http://vejapolitica.com.br/index.php/2017/08/29/vergonha-renault-lanca-campanha-preconceituosa-com-o-nordeste/

sábado, 15 de julho de 2017

Os Profissionais do Poder


Peço desculpas por um texto tão grande e sei que muitos poucos o lerão, mas cansei de me perguntarem o que eu acho com a arrumação da casa no Brasil mais uma vez nesse meio do ano de 2017.

Não adianta vocês ficarem indignados. Não adianta pensar que estamos passando em uma grande crise etc etc. Nada é de fato o que está acontecendo. Os profissionais do poder estão defendendo os seus excelentes empregos. O que você também faria e os inveja quando vê as somas que eles fazem negócios. Os partidos são empresas. E empresas que precisam de capital para sobreviver e permiti seus membros que fiquem empregados. E é você que vai pagar tudo isso. Não são só eles mas os que estão também em torno deles que são os parentes até os que formam o partido que vão também, se desempregados, ficarem com bons empregos. Por isso que latem tanto, brigam, chamam até para trocar murros os que são contra aos seus amados partidos e políticos. Não tem diferença entre os partidos. Todos eles são, antes de qualquer coisa, profissionais do poder. E agem da mesma maneira. Você não quer ter um bom emprego?  Eles fazem o mesmo e farão tudo para defender o seu emprego como você faz. É natural. E é isto que você está vendo na televisão nessa pequena crise e arrumação da casa. A solução para isso foi, em países desenvolvidos e com a melhor qualidade de vida hoje, o voluntariado ou um salário semelhante a um emprego que só pode ser o de todo cidadão médio.  E uma rigorosa vigilância para eles não se envolverem com propinas de também empresas que estão lutando para ficarem milionárias e cujo casamento com os profissionais do poder é um casamento perfeito. Quando você não deu para nada e está desempregado se aproximar de um partido é uma boa solução. Leiam as biografias desses profissionais do poder que vai ver que muitos deles que hoje estão milionários  estavam desempregados e com um emprego com um pequeno salário. Não sei se foi só Marx que ficou, dentro de um aquário no século XIX depois de ter lido David Ricardo e Adam Smith, como disse Foucault.  Mas esse equívoco com os partidos levou a queda de quase todos os países que o marxismo assumiu o poder. O economicismo dos que ficaram deslumbrados com a economia politica criada ou desenvolvida por David Ricardo e Adam Smith não correspondeu a realidade. Os libertários focaram assim como Foucault no poder e suas relações e não com a economia politica. Dai não perceberam que esses partidos surgiram para organizar melhor as disputas em sociedades no fim do poder dos reis absolutos. ou seja, do absolutismo. Já os anarquistas perceberam cedo isto e focaram suas lutas, não na economia, principalmente de David Ricardo e Adam Smith, mas como se exerce o poder portando sem partidos e de forma horizontal nas lutas sociais. Tiveram sucesso focando, sem partidos, lutar para mais liberdade levando a democracia a cada vez mais se democratizar. Eles atuaram, em muitos países do mundo, como fizeram as feministas, a eliminação da censura, o amor livre para todos, a diminuição de diferença de rendas entre as pessoas, lutas contra o racismo etc. São lutas horizontais com programas e temas horizontais. São lutas sociais sem profissionais do poder que  vão a reboque querendo mamar nelas também.  Se você pensa que vai melhorar alguma coisa aqui no Brasil não se iluda. Tudo passará e voltará ao que era. A pergunta que lhe faço é: você não faria de tudo para não ficar desempregado e, se sua profissão é ser um profissional do poder, iria deixar de se candidatar e garantir sua profissão? Claro que não. Como você não pode eliminar os médicos, dentistas e todos os profissionais, também não pode eliminar os partidos e os profissionais do poder  que, com seu voto, você os elegem. Se não forem eles serão outros iguais. Portanto eles mesmos, com várias faces, serão eleitos porque os partidos e muitos sindicados são empresas para o exercício dos profissionais do poder que precisam levantar capital (propinas) para ficarem empregados e isto não vai mudar. Passada essa crise todos esquecerão e eles mesmos voltarão para vocês os elegerem e vocês os vão eleger e talvez até nos políticos muitos inteligentes que apostam nos neofascistas, que são muitos, explícitos ou encubados, no Brasil. Não acho nada, não sou nem massa de manobra nem fico vendo esses profissionais defenderem seus empregos. Dou risada quando chega a comédia de baixo nível. E, cá para nós, você não gostaria de ser  um vereador, depois deputado, depois deputado federal, senador e, quem sabe até, presidente da república. Muitos começaram nas escolas quando entraram em um grêmio ou nas universidades em grupos estudantis e entra em contado com os tentáculos de partidos, sindicados e todo tipo de associação onde tem gente esperta para serem carregados pelos os otários ou também espertos que sabem que se o sabichão for eleito ele terá um bom emprego trabalhando pouco em uma dessas empresas do governo. E o resto é silêncio.  Ou minha gargalhada na escuridão. KKKKKKKKKKKKKK. Mas a solução tem sido o que os libertários tm feito: lutas específicas sem partidos, chefes, horizontalmente defendendo a liberdade para todos. Ninguém quer mais ser dominador nem dominado. Todos  só querem ser livres e com rendas semelhantes resultado de seus trabalhos. E isso, meu caro Watson, é o óbvio. Isso é que é ser anarquista e nada mais.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

POR QUE É IMPORTANTE PARA A POPULAÇÃO DE SALVADOR SABER QUANTOS SAEM E QUANTOS ENTRAM NA CAPITAL NOS FERIADÕES?

TONy PACHEco



A quantidade de gente que sai de Salvador em cada festa é uma velha obsessão da mídia: antes do Carnaval, antes do Réveillon, na Semana Santa, no São João. Agora, NUNCA EXISTIU um órgão público, nem da Prefeitura nem do Governo do Estado que tivesse feito, até hoje, um levantamento sério. Nem prefeito nem governador querem mexer, pois isso OS OBRIGARIA A ADOTAR MEDIDAS SEVERAS em torno da quantidade de funcionários públicos que ELES LIBERAM nestes feriadões, DEIXANDO A POPULAÇÃO SEM ATENDIMENTO. Ao admitirem a mentira de que TODO MUNDO SAI DE SALVADOR em época de festas, ficam livres para descuidar do transporte público, do policiamento da capital, dos plantões de socorro médico e de defesa civil, enfim, AFROUXAM TODOS OS SERVIÇOS PÚBLICOS, sem exceção. Mas a verdade que se nota nos bairros da cidade, principalmente nos bairros populares, é que ESTÁ TODO MUNDO EM SALVADOR, saem apenas os mais ricos e os mais pobres ensandecidos, mas a MAIORIA ESMAGADORA fica numa capital ABANDONADA PELOS SERVIÇOS PÚBLICOS ESSENCIAIS. Tiram ônibus de circulação, dão folga a médicos e enfermeiros, a bombeiros e policiais, enfim, a esculhambação de sempre levada à enésima potência. E isso, sem falar na QUANTIDADE DE TURISTAS que chega a Salvador nas mesmas datas: Réveillon, Carnaval, Semana Santa e São João, que também devem ficar estarrecidos como os serviços públicos são desativados pela Prefeitura e pelo Governo do Estado. No afã de agradar os servidores públicos (grandes eleitores), desmantelam os serviços nos feriadões e não atendem aos turistas que chegaram nem à maioria dos soteropolitanos que ficou aqui. E a mídia embarca bonitinha. A imprensa, sem NENHUM PARÂMETRO CIENTÍFICO, vomita estatísticas de quantos saíram de Salvador nas festas e nem sequer se lembra de tentar verificar quantos entraram em Salvador nas mesmas festas. Um caos estatístico, bem ao gosto das "ôtoridades" estaduais e municipais da Bahia. 
Quem fica em Salvador ou quem chega como turista nesta época de feriadões se se envolver em qualquer acidente, tiver problema de saúde ou de segurança, precisar se deslocar, come o pão que o diabo amassou na capital baiana. E vâmo que vâmo!

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Alex Ferraz estreou na blogosfera. Acesse e participe.


CORRA PARA VER O FILME "CORRA!" E APROVEITE E SEJA UM CIDADÃO-MODELO E VEJA "O CIDADÃO ILUSTRE"

toNy paCHEco

Ontem, tivemos a oportunidade de frequentar o Circuito de Cinema de Arte de Salvador e, que grata surpresa! Há filmes neste circuito infinitamente melhores que idiotices como "Alien - Covenant" ou "Velozes e Furiosos 8", duas imbecilidades nas quais perdi meu suado dinheirinho. Em "Corra!" (em cartaz no Espaço Itaú de Cinema na Praça Castro Alves) o racismo é tratado de uma maneira que mistura mastodôntica tragédia e pitadas de comédia, mantendo nossa atenção na tela num suspense contínuo. Já em "O Cidadão Ilustre" (Cinema da UFBA, na Faculdade de Educação no Vale do Canela), a reflexão em forma bem humorada é sobre um argentino que ganha o Prêmio Nobel e volta à sua terra natal para ser vítima de uma avalanche de inveja, preconceito, despeito, oportunismo, escorcha, rancores e todos os piores sentimentos que humanos vencedores despertam nos seus conterrâneos. Duas obras primas, cada uma no seu quadrado. Imperdíveis! Ah, em todos os dois cinemas tem lanchinhos superlegais, mas só no Espaço Itaú tem cerveja Heineken hehehehehehhe
Para ver os horários, vá para http://www.itaucinemas.com.br/home/ e http://www.saladearte.art.br/  



sexta-feira, 26 de maio de 2017

O Poder da Opinião

Ricardo Líper

Sou radicalmente contra qualquer tipo de assassinato. Sou radicalmente contra qualquer tipo de terrorismo e violência. Só acredito na formação de opiniões que mudam mentalidades no consenso e seja internacional. Só acredito que a crítica dos comportamentos autoritários termina por destruir os autoritários. A história tem mostrado isto sempre. Não só com Hitler, Mussolini e Stalin. No meu entender usar em uma guerra, disfarçada ou não, responder com terrorismo só provoca uma rejeição da opinião pública mundial. O mais importante é mostrar o que tem em cada uma das partes que está sendo injusto, cruel e dominador. 
A verdadeira luta se trava nas opiniões. 
O que está ocorrendo no Brasil agora, a importância para mim, foi evidenciar que todos ou quase todos os partidos são como são e poucos sabiam. A desmoralização será eterna com a descrença absoluta de todos. Assim caíram todos os poderosos. Não acredito que manifestações populares que quebram o que encontram pela frente são eficientes. Pode ser, é uma hipótese e digo não sei porque não tenho provas, portanto especulo apenas que podem ser até pessoas visando desacreditar uma manifestação pacifica mudando o foco e o olhar dela por uma causa justa com uma ação de destruição por onde passam. Dando assim que os acusados pela manifestação podem focar nesse comportamento e neutralizar o objetivo da manifestação. 
Nunca se iludam tudo que é sólido desmancha no ar e a qualquer momento. Um pequeno folheto pode destruir uma feroz ditadura. Depende apenas que ele tenha uma argumentação suficientemente forte porque a maioria, que não é ingênua, compreenderá. Assim foi em todos os grandes momentos de enfrentamentos de injustiças de vários tipos em todos os povos e na história. Observem. No fundo no fundo o que tem mudado o mundo tem a força e a eficiência da opinião. E é isso que sempre fiz. A critica evidenciando suas contradições e dominações é muito mais eficiente do que as ogivas nucleares.